Jornal diario
  • Grupo Oriental  

  • Grupo Central  

  • Grupo Ocidental  

PESQUISAR

RSS
Director: Pedro Botelho pedrobotelho@jornaldiario.com AÇORES traco TERÇA-FEIRA traco 17 DE OUTUBRO
Opinioes
Mais Opinões
Publicidade
Empresas Comunidade soliária
Portais Universos Blogs
Publicidade
Sata Rallye Açores é um exemplo de excelência
Entrevistas
Entrevistas

Sata Rallye Açores é um exemplo de excelência

Entrevista exclusiva com o presidente do Grupo Desportivo Comercial, Francisco Coelho.

Neste momento, falta sensivelmente um mês para a realização do Sata Rallye Açores. Em que ponto se encontra a preparação da prova?

A preparação da prova encontra-se dentro dos timmings planeados apesar da Comissão Organizadora, bem como a sua Direcção de Prova, ter tido só cerca dois meses para a montagem de uma estrutura de um evento de nível mundial.

Na apresentação oficial, em termos de pilotos participantes não foram adiantadas grandes novidades. Estarão os nomes nos segredos dos deuses, ou, por contrário, a data da prova tem condicionado em muito a confirmação da vinda de algumas das principais equipas?

Em relação a potenciais pilotos que virão ao Açores para participar no nosso rali, as inscrições encontram-se abertas até ao dia 10 de Fevereiro pelo que é prematuro fazer qualquer análise sobre potenciais participantes particulares ou equipas de fábrica. No entanto, aquilo que posso confirmar é que a Comissão Organizadora tem estabelecido e recebido diversos contactos a todos aqueles que têm demonstrado, até ao momento, intenção de fazer e integrar as provas do Calendário do IRC do ano 2012.

O Sata Rallye Açores atingiu um patamar de grande qualidade nos últimos anos. Considera que, devido a vários factores, se correrá o risco de se assistir a um decréscimo deste mesmo nível?

Concordo que, de facto, o nosso rali atingiu um patamar de excelência nestes últimos 3 anos e que se, o Grupo Desportivo Comercial conseguir manter o mesmo nível, penso que os Açores continuarão a posicionar-se no topo e como um dos ralis de referência do mundo.

Em termos financeiros, a cada ano que passa sentem-se as dificuldades em organizar uma prova deste tipo. Desta feita, houve, ou não, maiores apoios da iniciativa privada?

A crise económica que se faz sentir nos Açores neste momento, e na minha opinião, tem a haver principalmente a factores externos. Assim, consideramos que estamos fora dos problemas que estão a acontecer a nível europeu e, porque não dizer, numa perspectiva muito global. De facto, não tem sido fácil organizar uma prova com estas características, com o caderno de encargos extremamente exigente e rígido mas o GDC tem demonstrado, até hoje, que consegue ultrapassar estas dificuldades bem como os desafios que têm sido solicitados. Em relação aos apoios da iniciativa privada, continuamos com os mesmos parceiros com que até hoje temos vindo a contar.

A prova parece estar consolidada no calendário do IRC. Até onde poderá ir este Sata Rallye Açores?

De facto, é uma realidade! O SATA Rallye Açores consolidou-se no calendário do IRC, prova que, em primeiro lugar, tivemos a honra de ser convidados para abrir o calendário e outro facto bastante relevante é que o calendário deste ano – 2012 – passou a integrar 13 eventos, contrariamente ao ano passado que eram só doze, representando como efectiva demonstração de grande interesse pelo mesmo.

Na sua opinião, muito pessoal, que leitura faz da data em que se realiza, este ano, o Sata Rallye Açores?

Em termos pessoais, a altura que mais gosto para a realização da nossa prova é durante o Verão, pela razão de que as nossas estradas têm uma leitura e uma visibilidade extraordinária com autênticos corredores de hortênsias. Como Presidente do GDC, penso que a data de 2009, em Maio, altura em que se procedeu a festa do Nosso Senhor Santo Cristo dos Milagres, foi bastante satisfatória a todos os s níveis e teve um enquadramento muito interessante.

Face à curta distância que nos separa do rali, acredita que a lista de inscritos poderá chegar às 50 equipas?

É uma situação que não nos preocupa. O que nos preocupa, sim, é que consigamos fazer uma prova à altura das nossas responsabilidades, com a avaliação de excelência que temos vindo a conquistar bem como os protagonistas com a qualidade esperada.

Que mensagem deixa a todos os amantes do automobilismo açoriano, os quais, certamente, no próximo mês estarão na estrada?

A mensagem que quero deixar é que a Organização do SATA Rallye Açores fará todos os possíveis ao seu alcance para dignificar o Grupo Desportivo Comercial, bem como os Açores, na realização do maior acontecimento desportivo da Região.

JornalDiario

2012-01-27 17:00:00

Imprimir notícia